Excertos - Educação & Cultura


DESAFIO I

 

Misturando Letras e Números

Decifre o texto abaixo:

 

 

35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R COMO NO554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35! R3P4R3 N155O! NO COM3ÇO 35T4V4 M310 COMPL1C4DO, M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4NDO O CÓD1GO QU453 4UTOM4T1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R P3N54R MU1TO, C3RTO? POD3 F1C4R B3M ORGULHO5O D155O! SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3! P4R4BÉN5!

 
 
Parabenizo pelo sucesso alcançado!!!



Categoria: Curiosidades
Escrito por Edson Salles às 19h22
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


DESAFIO II

 

 

Tente ler, rapidamente, o texto a seguir:

"LETRAS TROCADAS"

 

De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol bçguana que vcoê cnocseguee anida ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa ltrea szoinha, mas a plravaa cmoo um tdoo. Lgeal, não é msemo?

 
 
 
Parabéns pelo novo sucesso!!!
 
 
 



Categoria: Curiosidades
Escrito por Edson Salles às 19h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"- se não tiver amor, nada serei..."

Educação pelo Amor
Cristina Helena Sarraf

Por mais que seja difícil tratar do assunto Amor, dada sua abrangência e multifacetamento, acabamos voltando a ele, ponto central de nossa vida e de todo trabalho interno de lucidez e fortalecimento.

Pensar em um processo educacional através do Amor, é criar recursos para desenvolver o entendimento e a prática sobre a maior instrução de Jesus, a respeito do nosso relacionamento conosco e com os outros: amar ao próximo como a si mesmo.

A base dos raciocínios, para um bom entendimento dessa instrução, está no fato de que amamos outrem na conformidade de como e quanto amamos a nós mesmos.

Em cada um está o seu laboratório particular, a fonte e o campo de experiências necessárias ao aprendizado pessoal sobre o Amor. E a Vida se encarrega de nos provar que sem amor por nós próprios, sem essa experiência, esse viver, não conseguimos, verdadeiramente, amar alguém, pois não o vemos na sua verdadeira característica e dimensão. E também porque confundimos amar com gostar, desejar, possuir, apoiar-se, obter prestígio, dar proteção, ter companhia, ser útil, enfim, com muitas sensações e situações.

Mas Jesus, o modelo de Homem, estabelece como centro de suas instruções o Amor. E passa o tempo todo exemplificando e demonstrando que a vida observada e entendida através do Amor e de sua prática é mais bela e significativa, facilitando-nos as condições de melhorarmos os relacionamentos e a convivência conosco mesmo.

Se pudéssemos abstrair todas as interpretações, conceitos, entendimentos e condicionamentos que foram sendo feitos, no decorrer do tempo, sobre o pensamento de Jesus e penetrássemos em seu âmago, certamente poderíamos saber o quanto temos nos limitado, equivocado e atrapalhado, ante a amplidão da libertação que o Mestre nos propôs... Mas tudo tem seu tempo certo de maturação e vamos chegando à verdade. Por exemplo, já sabemos que amar não é dizer sim para tudo, "passar a mão na cabeça", fazer pelo outro, ser "cego", "surdo" e "mudo" às situações, para não desagradar alguém, partilhar segredos, ser conivente, abandonar-se e fazer tudo por alguém, justificar erros, ser bonzinho, obedecer, ter vínculo sexual, sacrificar-se...

Aprendendo a amar, ao vermos um erro, não mais pensaremos mal e nem criaremos justificativas, mas entenderemos que o ato representa o nível evolutivo de quem o pratica, e suas verdadeiras condições, nesse momento da vida. Porque, sendo multifacetados os aspectos da nossa personalidade, em uns somos o terreno fértil da parábola do Semeador, noutros somos o terreno pedregoso, o de espinheiros e a terra árida.

O fundamental é que Jesus se propôs a nos ensinar a amar. Isso significa que amor se aprende! E essa conclusão opõe-se ao "inconsciente coletivo" predominante, segundo o qual já se nasce sabendo amar. E mais, esse saber é exigido e cobrado, sempre segundo os valores e padrões de alguém.

Pela palavra de Jesus e pelas experiências pessoais, fica claro que o Amor precisa ser aprendido, sendo bom querermos fazer esse aprendizado, se temos objetivos de diminuir as dores e crescer interiormente.

Uma das formas mais comuns de descobrirmos que precisamos aprender a amar é o sofrimento e a dor que vem da falta de receber amor. Nessa situação acabamos por descobrir que, afinal de contas, não estávamos sabendo distinguir direito, não discernimos bem e, principalmente, não nos amamos.

Não se amar é percebido pelo tanto de desrespeito, descuido, abandono e descompromissamento consigo mesmo; por esperar, dos outros, atenção, consideração, cuidados; pelo quanto permitimos que nos dominem, determinem nossos atos e pensamentos e pela fraqueza íntima, tornando-nos dependentes e fragilizáveis.

Um belo e renovador caminho é o do aprender a se amar, experiência que nada, nada tem a ver com egoísmo, pois o egoísta não se ama, mas exige o amor do outro, usando de artifícios, como: fazer-se de vítima, de coitadinho, sendo autoritário, usando de violência e insuflando o medo.

Para aprendermos a amar, afora a observação atenta a tudo e a todos, sempre aplicando os melhores sentimentos, há a possibilidade de fazermos estudos com os Espíritos mais elevados, nas escolas de Amor. Ou seja, fora do corpo, durante o sono, que tal buscarmos os Espíritos especializados nesse assunto, que podem nos ensinar exercícios e treinamentos que nos ajudem a desenvolver essa capacitação?

"Ainda que eu fale a língua dos Homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência, e tenha fé tamanha, a ponto de transportar os montes, se não tiver amor, nada serei...."

 Fonte:  Web/Uol/Google 



Escrito por Edson Salles às 08h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


EDUCAÇÃO E AMOR

 

Prof. Dr. Marcos de Afonso Marins 

 

A nossa missão de pais é educar com amor e para o amor.

 

Vamos  transcrever abaixo, trechos de Conferências de Paul-Engëne Charbonneau, pronunciadas na "Escola de Pais do Brasil". Pedimos aos pais que leiam e discutam sobre o assunto. Não queremos impor idéias, mas sim levantar certos questionamentos para a felicidade de seus filhos.

 

"Freqüentemente reduz-se o problema da educação ao da instrução.Colocam o jovem no colégio, acompanham de perto ou de longe seus sucessos ou insucessos  escolares, castigam-no, encorajam-no, e pronto ! Mas, é preciso notar que instruir um homem não é formá-lo. Que a instrução seja necessária, ninguém hoje nem sonha negá-lo. Mas é necessário desconhecer completamente a realidade humana para pensar que ela seja suficiente. "Além da vida da inteligência, dizia Mounier, existe a vida do amor". Esta verdade é por demais evidente para que não se deixe de perguntar no momento em que se medita sobre o futuro dum adolescente, e sobre seu presente, como prepará-lo para viver o amor".

 

"Nós vivemos num mundo , numa situação materializada - é o mundo do ter. Todos querem ter coisas, todos querem ter felicidade, e felicidade não é coisa que se tenha, não se tem felicidade. Pode-se ser feliz. Não se pode apanhar a felicidade, ela  não é comprada, não é coisa fabricada".

 

"Existem pessoas que são incapazes de amar porque têm tudo. São as mais infelizes, porque são incapazes de ser feliz; pela simples razão de terem tudo, criam uma mentalidade que os leva a pensar que basta ter dinheiro para se realizarem em todos os campos. Mas acontece que na vida pode-se comprar quase tudo, exceto duas coisas: inteligência e amor. Nenhuma dessas se compra num balcão; não basta dizer que se ama para ser feliz".

 

"O que é preciso desde logo é aprender a ser, para no futuro capacitar-se a ser feliz no amor.Preparar-se para o amor é preparar-se para ser. É justamente na juventude que se define o vir-a-ser de cada um e se estabelecem as diretrizes gerais, ampliando a dimensão pessoal e preparando cada um para amar".

 

Amar o filho é colocá-lo dentro dos  problemas da família, cooperando para a sua solução, a ajuda mútua nas atividades domésticas, a compreensão das dificuldades financeiras, etc.,  são meios que formam os nossos filhos. A participação dos pais nas atividades dos filhos, nos esportes, na escola, nas explicações das lições de casa, nas conversas vendo televisão, etc, são meios que  ajudam a formar uma consciência crítica e dar maturidade.

 

Amar o filho é contrariar muitas vezes, é ensinar o certo é dar as condições para que ele tenha uma vida futura saudável, quer como profissional quer como cidadão, que vive em uma comunidade e tem interação com as pessoas.  Viver em sociedade se aprende em casa com os pais, respeitando o outro, sabendo viver e conviver com as diferenças pessoais.

 

Como pais, é nossa obrigação  contribuir para uma boa formação integral de nossos filhos.

 

 

Fonte:   Web/Uol/Google

 



Escrito por Edson Salles às 08h14
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


REFLEXÃO

Educação e amor

Vilma Machado

Nao há como falar em educação sem falar de amor pois é através dele que aprendemos

as mais belas e as mais terríveis lições da vida.

Sua presença traz a paz sua falta produz as guerras.

Se não existe amor dentro do coração de um homem como ele pode

viver, senão produzindo aquilo que ele mesmo sente dentro de si.

Na educação para o presente momento que vive nossa sociedade, precisamos

entender que a falta de amor está destruindo o ser, já não basta instruir e

passar conhecimentos ,é necessário ensinar o homem a buscar a si mesmo, ensinar

o homem a buscar a essência de toda a existência e esta é o amor.

Se a educação estiver totalmente voltada para o amor e se for praticada com

amor então os homens terão chance de mudar o mundo, aprendendo a se

enteder, a se controlar e acima de tudo mudar seus instintos.

Somente através do amor entenderá e encontrará suas respostas, somente

com os olhos de quem ama comprenderá que todos os seres humanos, sem

distinção de classe social, raça ou credo, foram todos feitos para serem felizes,

assim se abrirá também para a prática da tolerância e do respeito.

Educar não é tarefa somente para pais e professores mas, tarefa e obrigação

de todos nós, ensinamos com os nossos atos, ensinamos quando expomos

nossos pensamentos, ensinamos com o nosso exemplo, ensinamos na forma

como reagimos perante as coisas com que nos confrontamos.

Portanto ensinar é algo muito mais profundo e complexo e exige de cada um

de nós a conscientização que somos na realidade educando e educador,

refletindo assim em cada ato, em cada pensamento.

Fonte:   Web/Uol/Google

 



Escrito por Edson Salles às 07h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


LITERATURA

 

 

O Livro e a América 

 

Talhado para as grandezas,
Pra crescer, criar, subir,
O Novo Mundo nos músculos
Sente a seiva do porvir.
— Estatuário de colossos —
Cansado doutros esboços
Disse um dia Jeová:
"Vai, Colombo, abre a cortina
"Da minha eterna oficina...
"Tira a América de lá".

 

Molhado inda do dilúvio,
Qual Tritão descomunal,
O continente desperta
No concerto universal.
Dos oceanos em tropa
Um — traz-lhe as artes da Europa,
Outro — as bagas de Ceilão...
E os Andes petrificados,
Como braços levantados,
Lhe apontam para a amplidão.

 

Olhando em torno então brada:
"Tudo marcha!... Ó grande Deus!
As cataratas — pra terra,
As estrelas — para os céus
Lá, do pólo sobre as plagas,
O seu rebanho de vagas
Vai o mar apascentar...
Eu quero marchar com os ventos,
Com os mundos... co'os
firmamentos!!!"
E Deus responde — "Marchar!"

 
"Marchar! ... Mas como?...  Da Grécia
Nos dóricos Partenons
A mil deuses levantando
Mil marmóreos Panteons?...
Marchar co'a espada de Roma
— Leoa de ruiva coma
De presa enorme no chão,
Saciando o ódio profundo. . .
— Com as garras nas mãos do mundo,

 

— Com os dentes no coração?...
"Marchar!... Mas como a Alemanha
Na tirania feudal,
Levantando uma montanha
Em cada uma catedral?...
Não!... Nem templos feitos de ossos,
Nem gládios a cavar fossos
São degraus do progredir...
Lá brada César morrendo:
"No pugilato tremendo
"Quem sempre vence é o porvir!"

 

Filhos do sec’lo das luzes!
Filhos da Grande nação!
Quando ante Deus vos mostrardes,
Tereis um livro na mão:
O livro — esse audaz guerreiro
Que conquista o mundo inteiro
Sem nunca ter Waterloo...
Eólo de pensamentos,
Que abrira a gruta dos ventos
Donde a Igualdade voou...

 

Por uma fatalidade
Dessas que descem de além,
O sec'lo, que viu Colombo,
Viu Guttenberg também.
Quando no tosco estaleiro
Da Alemanha o velho obreiro
A ave da imprensa gerou...
O Genovês salta os mares...
Busca um ninho entre os palmares
E a pátria da imprensa achou...

 

Por isso na impaciência
Desta sede de saber,
Como as aves do deserto
As almas buscam beber...
Oh! Bendito o que semeia
Livros... livros à mão cheia...
E manda o povo pensar!
O livro caindo n'alma
É germe — que faz a palma,
É chuva — que faz o mar.

 

Vós, que o templo das idéias
Largo — abris às multidões,
Pra o batismo luminoso
Das grandes revoluções,
Agora que o trem de ferro
Acorda o tigre no cerro
E espanta os caboclos nus,
Fazei desse "rei dos ventos"
— Ginete dos pensamentos,
— Arauto da grande luz! ...

 

Bravo! a quem salva o futuro
Fecundando a multidão! ...
Num poema amortalhada
Nunca morre uma nação.
Como Goethe moribundo
Brada "Luz!" o Novo Mundo
Num brado de Briaréu...
Luz! pois, no vale e na serra...
Que, se a luz rola na terra,
Deus colhe gênios no céu!...

                                                               Castro Alves

 



Escrito por Edson Salles às 07h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


EDUCAÇÃO

Motivação na Aprendizagem

 

 

 

Os professores estão sempre se perguntando sobre o que devem fazer para que os alunos realmente aprendam.

Segundo o dicionário Silveira Bueno, motivação quer dizer exposição de motivos ou causas; animação; entusiasmo. Através dessas definições, pode-se constatar que estar motivado é estar animado, entusiasmado. Para isso, é necessário ter motivos para se chegar a esse estado.

 

 

 

 

Qualquer coisa que se faça na vida, é necessário primeiro a vontade de realizá-la, senão nada acontece. Isso também ocorre na educação. Educação requer Ação e como resultado dessa ação, há o APRENDIZADO. Mas para que se realize a ação e esta resulte no aprendizado é necessário, inicialmente, que haja a VONTADE, nesse caso, a vontade de aprender. O professor deve descobrir estratégias, recursos para fazer com que o aluno queira aprender, em outras palavras, deve fornecer estímulos para que o aluno se sinta motivado a aprender. Como por exemplo:

  • Dar tratamento igual a todos os alunos;
  • Aproveitar as vivências que o aluno já tem e traz para a escola no momento de montar o currículo, incluir temas que tenham relação, isto é, estejam ligados à realidade do aluno, a sua história de vida, respeitando a sua vida social, familiar;
  • Mostrar-se disponível para o aluno, ou seja, mostrar que ele pode contar sempre com o professor;
  • Ser paciente e compreensivo com o aluno;
  • Procurar elevar a auto-estima do aluno, respeitando-o e valorizando-o;
  • Utilizar métodos e estratégias variadas e propostas de atividades desafiadoras;
  • Mostrar-se aberto e afetivo para e com o aluno;
  • “Acolher” realmente o aluno;
  • Dar carinho e limites na medida certa e no momento adequado;
  • Manter sempre um bom relacionamento com o aluno, e consequentemente, um clima de harmonia;
  • Fazer de cada aula um momento de real reflexão;
  • Ter expectativas positivas acerca do aluno;
  • Saber ouvir o aluno;
  • Não ridicularizá-lo jamais;
  • Amar muito o que faz, a sua profissão de professor;
  • Mostrar para o aluno que ele pode fazer a DIFERENÇA, isto é, que ele tem o seu lugar e o seu valor no mundo;
  • Perceber que ele, o professor, pode fazer a DIFERENÇA, para o aluno;
  • O professor deve ensinar o aluno a ser ético e crítico, mostrando a ele que a crítica é boa , desde que feita de maneira adequada e que a ética é fundamental em qualquer relacionamento humano, em qualquer ambiente: Familiar, Social, Escolar, entre outros.

 Autora: Cássia Ravena Mulin de Assis Medel

 



Escrito por Edson Salles às 15h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


EDUCAÇÃO

Vocabulário brasileiro

Culturas africanas influenciaram

nosso idioma

Heidi Strecker*


 
O português que falamos no Brasil tem muitas palavras de origem africana, você sabia? Isso acontece porque - principalmente durante período colonial - os negros foram trazidos da África como escravos, para trabalhar na lavoura.

Os africanos trouxeram consigo sua religião - o candomblé - e sua cultura, que inclui as comidas, a música, o modo de ver a vida e muitos dos seus mitos e lendas. Trouxeram ainda - é claro - as línguas e dialetos que falavam.

Os povos bantos, que habitavam o litoral da África, falavam diversas línguas (como o quicongo, o quimbundo e o umbundo). Muitos vocábulos que nós usamos freqüentemente vieram desses idiomas. Quer exemplos? "Bagunça", "curinga", "moleque", "dengo", "gangorra", "cachimbo", "fubá", "macaco", "quitanda"...

Outras palavras do português falado no Brasil também têm raízes africanas. Muitas delas vêm de diferentes povos do continente, como os jejes e os nagôs (que falavam línguas como o fon e o ioruba). Palavras como "acarajé", "gogó", "jabá" e muitas outras passaram a fazer parte do nosso vocabulário, foram incorporados à nossa cultura. Em geral, trata-se de nomes ligados à religião, à família, a brincadeiras, à música e à vida cotidiana.

Quer um exemplo bem trivial? "Bunda". Essa palavra também é africana, pode ter certeza. Se não fosse por ela, teríamos que dizer "nádegas", que é efetivamente o termo português para essa parte do corpo humano. Da mesma maneira, em vez de "cochilar", teríamos que dizer "dormitar". Em vez de "caçula", usaríamos uma palavra bem mais complicada: "benjamim". Empolado, não é?

Dizem que a língua banta tem uma estrutura parecida com o português, devido ao uso de muitas vogais e sílabas nasais ou abertas. Deve ser verdade, observe os sons da palavra "moleque" e de "gangorra". Parece também que o jeito malemolente (isto é, devagar e cheio de ginga) de falar facilitou a integração entre o banto e o português.

A verdade é que hoje a gente usa tantas palavras africanas que nem repara em sua origem. Quer ver? O que seria do Brasil sem o "samba"? E tem mais: "cachaça", "dendê", "fuxico", "berimbau", "quitute", cuíca", "cangaço", "quiabo", "senzala", "corcunda", "batucada", "zabumba", "bafafá" e "axé". Para quem não sabe, "bafafá" significa confusão. E "axé" é uma saudação com votos de paz e felicidade.

O prefixo "afro"

Antes de terminar, é bom lembrar que hoje é muito comum o uso do prefixo "afro" (relativo à África), em palavras como afro-brasileiro, afro-descendente, afro-americano. Repare que essas palavras, assim como o próprio prefixo, são adjetivos.

E a gramática manda que palavras formadas por prefixos que sejam formas adjetivas sejam separadas por hífen. Ora, "afro" é redução de "africano". Portanto, afro-brasileiro é algo ou alguém com características ou origem africanas e brasileiras e afro-descendente é algo ou alguém que descende de africanos.
 
*Heidi Strecker é filósofa e educadora.
 
Fonte: Uol Educação


Escrito por Edson Salles às 17h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


REFLEXÃO

A FLOR E O ARROZ 

   Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um

parente, quando vê um chinês colocando um prato

de arroz na lápide ao lado.

 
   Ele se vira para o chinês e pergunta:

 
   - Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o defunto

virá comer o arroz?

 
   E o chinês responde:

 
   - Sim, quando o seu vier cheirar as flores.

 
   Moral da História:

 
   "Respeitar as opções do outro, em qualquer aspecto,

é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter.

As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente.

Portanto, nunca julgue. Apenas tente compreender."

Fonte: Web/Uol/Google

 

 



Escrito por Edson Salles às 19h56
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


DICAS PARA A SAÚDE

 

 

Benefícios do Suco de Uva

Para manter as artérias jovens, tome suco de uva todos os dias.

Os segredos das uvas e do suco de uva no combate ao envelhecimento, é simples e poderoso: as uvas contém 20 antioxidantes conhecidos, que funcionam em conjunto para combater os radicais livres que promovem as doenças e envelhecimento de acordo com os pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Davis.

 
Os antioxidantes encontram-se nas cascas e sementes e quanto mais vibrante for a cor da casca, maior seu poder antioxidante, que significa que as uvas vermelhas e tintas e seu suco de uva são os mais poderosos.

 
Do ponto de vista terapêutico, trata-se de um dos mais preciosos sucos. O suco de uva Pérgola faz uma combinação criteriosa de uvas tintas: temos a doçura das uvas Isabel e Concord, acrescidas do aroma, sabor e cor da uva Bordô, proporcionando uma concentração consistente, límpida, brilhante e de sabor inconfundível.

 
Uma combinação perfeita que faz com que nosso suco tenha uma potente atividade anticoagulante e, sabe-se, que isso inibe a oxidação do colesterol HDL e dilata os vasos sanguíneos.

 
Saúde com energia e reconstrução da fadiga, temos tomando suco de uvas tintas todos os dias.

Fonte: Vinícula Campestre



Categoria: Curiosidades
Escrito por Edson Salles às 11h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Sudeste, VILA VELHA, NOVO MEXICO, Homem, Mais de 65 anos, Portuguese, Spanish, Esportes, Arte e cultura, Educação, Adm. e Inspeção Escolar



Histórico


Categorias
Todas as mensagens Link Evento Notícias Humor Curiosidades



Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 Consultoria em Banco de Dados Oracle